Monstra Festival

A MONSTRA convida… a Bélgica

Em 2021 a Monstra presta homenagem ao cinema de animação da Bélgica!

A Bélgica é também o berço de um dos mais importantes nomes da animação europeia, Raoul Servais, e a pátria de um dos mais antigos festivais de animação do mundo, o ANIMA de Bruxelas, que celebra, em 2021, 40 anos de existência.

A animação belga comemora também em 2021 o seu centenário. Foi entre os anos 20 e 21 do século passado que a família Houssiaus, de Bruxelas, produziu os primeiros filmes publicitários animados. No entanto, apenas mais de uma dezena de anos depois, Ernest Genval realizou o seu primeiro filme, “Plucki en Egypte” e entre 1935 e 1937 os irmãos Vanpepestraete fizeram as primeiras series de animação de marionetas “Tout va très bien, Madame la Marquise” e “Couchés dans la foin”. Durante a ocupação Nazi, Paul Nagant fundou o primeiro estúdio de animação em Liège, onde produziu, entre outros filmes, “Zazou chez les nègres”.

Uma grande história que a MONSTRA vai homenagear em sessões de curtas e longas-metragens, que mostrarão o melhor da animação Belga numa das maiores retrospetivas jamais realizadas.

Foi na Bélgica  que surgiu um dos instrumentos que tornou possível termos hoje o cinema de animação: o fenaquistoscópio. 

Parece um brinquedo de crianças e, de fato, no século XIX foi usado como tal. Mas apesar de ser normalmente esquecido e encarado como uma mera curiosidade, o fenacistoscópio (também chamado a certa altura de “fantascópio” e até de “roda mágica”), foi um instrumento pioneiro na produção de imagens em movimento. 

Criado pelo físico belga Joseph Plateau no século XIX, o fenaquistoscópio é composto por um disco de cartão ao redor do qual estão dispostos vários desenhos (idealmente 16) ligeiramente diferentes do mesmo objeto. Ao rodar o disco à frente de um espelho cria-se uma ilusão ótica de movimento das gravuras, com cada desenho a servir de uma fase sequencial da animação. 

Este objecto antecedeu até o zoopraxiscópio de Edward Muybridge (que projetava a ilusão ótica) e o cinematógrafo dos irmãos Lumière, fazendo de Plateau um dos grandes inventores do que veio a ser o cinema.

            • Sabias que…? 

Podes encontrar na exposição permanente da Cinemateca Júnior, no Palácio Foz, em Lisboa, alguns exemplares de fenacistoscópios, entre outros objectos do chamado “pré-cinema.

Tal como os modernos GIF, só pode mostrar uma curta animação circular.